Você Já Pode Adquirir o CD - Dupla Honra Cantora Mary Leandro FRETE JÁ INCLUSO - Receba na sua Casa Contato - (83) 9 81168227 Wattsapp- (011) 9 9660-2968 O CD da Cantora Mary

Envie Fotos,Vídeos,Mp3,Blogs,Fóruns,Comunidades,Slides,Eventos,e Compartilhe com sua Igreja ,Ministério,Familiares e as Suas Redes Sociais

Aniversários

Não há aniversários hoje

Lição 2 - O Único DEUS Verdadeiro e a Criação

Lição 2 - O Único DEUS Verdadeiro e a Criação
3º Trimestre de 2017 - Título: A Razão da Nossa Fé: Assim Cremos, assim Vivemos
Comentarista: Pr. Pres. Esequias Soares, Assembleia de DEUS, Jundiai, SP
Complementos, ilustrações e vídeos: Pr. Luiz Henrique de Almeida Silva - 99-99152-0454

TEXTO ÁUREO
"E JESUS respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor, nosso DEUS, é o único Senhor." (Mc 12.29)

VERDADE PRÁTICA
Cremos em um só DEUS, o Pai Todo-Poderoso, criador do céu e da terra, de todas as coisas, visíveis e invisíveis.

LEITURA DIÁRIA
Segunda - 1 Co 8.6 O monoteísmo judaico é ratificado na fé cristã
Terça - Ne 9.6 DEUS é o Supremo Criador e Provedor de todas as coisas
Quarta - Sl 33.9 DEUS criou o universo pelo poder da sua Palavra
Quinta - Gn 2.7 A origem do ser humano é DEUS
Sexta - Ap 4.11 DEUS criou todas as coisas segundo a sua soberana vontade
Sábado - Rm 1.20 A existência de DEUS é um fato

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Deuteronômio 6.4; Gênesis 1.1
Dt 6.4 - Ouve, Israel, o SENHOR, nosso DEUS, é o único SENHOR.
Gn 1.1 - No princípio, criou DEUS os céus e a terra.

OBJETIVO GERAL
Mostrar que cremos em um só DEUS, o Pai Todo-Poderoso, criador do céu e da terra.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Reconhecer que há somente um único DEUS verdadeiro;
Explicar porque o criacionismo e evolucionismo são antagônicos;
Compreender a narrativa da criação.
INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Prezado professor, você crê que há somente um DEUS verdadeiro e que Ele criou os céus e a Terra? Então não terá dificuldade no ensino desta lição. DEUS é real e Ele se revela ao homem de diferentes maneiras, porém uma das formas que Ele se revela a nós é mediante a sua criação. O relato da criação da terra, do céu e do homem, não é uma alegoria. A narrativa da criação é um fato histórico, ou seja, algo que aconteceu exatamente como a Palavra de DEUS afirma. Quando o assunto é a criação do universo e da vida, sabemos que existem várias teorias que tentam explicar a origem de tudo, como por exemplo, a teoria do Big Bang e da Evolução. Mas, cremos que o universo e a vida não são produtos de uma evolução como alguns cientistas tentam afirmar ou o resultado da explosão de uma partícula. Cremos que o DEUS é o grande Criador.

PONTO CENTRAL
Cremos que um só DEUS, o Pai Todo-Poderoso é o criador do céu e da terra.

Resumo da Lição 2 - O Único DEUS Verdadeiro e a Criação
I - O ÚNICO DEUS VERDADEIRO
1. O Shemá.
2. O monoteísmo.
3. O monoteísmo judaico-cristão.
II - CRIAÇÃO X EVOLUÇÃO
1. O modelo criacionista.
2. O modelo evolucionista.
III - A CRIAÇÃO
1. A criação do Universo.
2. A narrativa da criação em Gênesis 1.
3. A criação do ser humano.

SÍNTESE DO TÓPICO I - DEUS é único e verdadeiro.
SÍNTESE DO TÓPICO II - O criacionismo e o evolucionismo são antagônicos.
SÍNTESE DO TÓPICO III - A narrativa bíblica a respeito da criação é verdadeira.

PARA REFLETIR - A respeito do único DEUS verdadeiro e a criação, responda:
Qual o significado teológico da expressão "é o único SENHOR" ou "o SENHOR é um"?
O significado está no fato de existir um só DEUS, e de DEUS ser um só. Tal expressão diz respeito tanto a "singularidade" quanto à "unidade" de DEUS.
Quem disse que o DEUS de Israel é também o nosso DEUS? Cite a referência.
O Senhor JESUS CRISTO (Jo 1.18). Paulo também pregava isso (At 22.14).
Qual foi o ponto de partida da criação?
"No princípio criou DEUS os céus e a terra" (Gn 1.1).
Como DEUS trouxe o universo à existência?
Ele trouxe o universo à existência do nada.(Hebreus 11.3 diz que os mundos pela Palavra de DEUS foram criados.)
Qual o significado de adam,"homem", no relato da criação (Gn 1.26,27)?
O significado do termo hebraico usado para "homem" é adam, que significa "gênero humano".

CONSULTE
Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 71, p. 37.
SUGESTÃO DE LEITURA
Criacionismo: Verdade ou Mito?, Respostas aos Céticos e O Começo de Todas as Coisas

Resumo Rápido do Pr. Henrique - Lição 2 - O Único DEUS Verdadeiro e a Criação
INTRODUÇÃO
Hoje estudaremos sobre a Doutrina de DEUS - Basicamente sobre a unidade de DEUS, o monoteísmo judaico-cristão e a obra da criação (criacionismo x evolucionismo).
Na Confissão de fé ou no Cremos é o segundo ponto ou doutrina a estudarmos neste trimestre.

Disponibilizamos novamente o cremos para que seja lido nas Escolas Bíblicas Dominicais.

Cremos (Confissão de Fé)
1. Na inspiração divina verbal e plenária da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé e prática para a vida e o caráter cristão (2 Tm 3.14-17);
2. Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas distintas que, embora distintas, são iguais em poder, glória e majestade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo; Criador do Universo, de todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, e, de maneira especial, os seres humanos, por um ato sobrenatural e imediato, e não por um processo evolutivo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29; Gn 1.1; 2.7; Hb 11.3 e Ap 4.11);
3. No Senhor Jesus Cristo, o Filho Unigênito de Deus, plenamente Deus, plenamente Homem, na concepção e no seu nascimento virginal, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e em sua ascensão vitoriosa aos céus como Salvador do mundo (Jo 3.16-18; Rm 1.3,4; Is 7.14; Mt 1.23; Hb 10.12; Rm 8.34 e At 1.9);
4. No Espírito Santo, a terceira pessoa da Santíssima Trindade, consubstancial com o Pai e o Filho, Senhor e Vivificador; que convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo; que regenera o pecador; que falou por meio dos profetas e continua guiando o seu povo (2 Co 13.13; 2 Co 3.6,17; Rm 8.2; Jo 16.11; Tt 3.5; 2 Pe 1.21 e Jo 16.13);
5. Na pecaminosidade do homem, que o destituiu da glória de Deus e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo podem restaurá-lo a Deus (Rm 3.23; At 3.19);
6. Na necessidade absoluta do novo nascimento pela graça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus para tornar o homem aceito no Reino dos Céus (Jo 3.3-8, Ef 2.8,9);
7. No perdão dos pecados, na salvação plena e na justificação pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor (At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26; Hb 7.25; 5.9);
8. Na Igreja, que é o corpo de Cristo, coluna e firmeza da verdade, una, santa e universal assembleia dos fiéis remidos de todas as eras e todos os lugares, chamados do mundo pelo Espírito Santo para seguir a Cristo e adorar a Deus (1 Co 12.27; Jo 4.23; 1 Tm 3.15; Hb 12.23; Ap 22.17);
9. No batismo bíblico efetuado por imersão em águas, uma só vez, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo (Mt 28.19; Rm 6.1-6; Cl 2.12);
10. Na necessidade e na possibilidade de termos vida santa e irrepreensível por obra do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas de Jesus Cristo (Hb 9.14; 1 Pe 1.15);
11. No batismo no Espírito Santo, conforme as Escrituras, que nos é dado por Jesus Cristo, demonstrado pela evidência física do falar em outras línguas, conforme a sua vontade (At 1.5; 2.4; 10.44-46; 19.1-7);
12. Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme sua soberana vontade para o que for útil (1 Co 12.1-12);
13. Na segunda vinda de Cristo, em duas fases distintas: a primeira — invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja antes da Grande Tribulação; a segunda — visível e corporal, com a sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1 Ts 4.16, 17; 1 Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5; Jd 1.14);
14. No comparecimento ante o Tribunal de Cristo de todos os cristãos arrebatados, para receberem a recompensa pelos seus feitos em favor da causa de Cristo na Terra (2 Co 5.10);
15. No Juízo Final, onde comparecerão todos os ímpios: desde a Criação até o fim do Milênio; os que morrerem durante o período milenial e os que, ao final desta época, estiverem vivos. E na eternidade de tristeza e tormento para os infiéis e vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis de todos os tempos (Mt 25.46; Is 65.20; Ap 20.11-15; 21.1-4).
16. Cremos, também, que o casamento foi instituído por Deus e ratificado por nosso Senhor Jesus Cristo como união entre um homem e uma mulher, nascidos macho e fêmea, respectivamente, em conformidade com o definido pelo sexo de criação geneticamente determinado (Gn 2.18; Jo 2.1,2; Gn 2.24; 1.27).

CAPÍTULO II. SOBRE DEUS - Pequeno resumo - Livro Declaração de Fé - CPAD
CREMOS, professamos e ensinamos que Deus é o Supremo Ser, Criador do céu e da terra: “Porque assim diz o SENHOR que tem criado os céus, o Deus que formou a terra e a fez; ele a estabeleceu” (Is 45.18); que Ele é o Deus Pai de nosso Senhor Jesus Cristo: “[...] para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome” (Jo 20.31); que Ele é Espírito doador e mantenedor de toda a vida: “O Espírito de Deus me fez; e a inspiração do Todo-poderoso me deu vida” (Jó 33.4); que Ele é o único Deus verdadeiro:1 “E a vida eterna é esta: que conheçam a ti só por único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo 17.3) e não há outro além dEle: “Eu sou o SENHOR, e não há outro; fora de mim, não há deus [...] que fora de mim não há outro; eu sou o SENHOR, e não há outro” (Is 45.5,6). Ele é identificado na Bíblia como Deus: “Eu sou Deus, o Deus de teu pai” (Gn 46.3), Deus Altíssimo e Deus Todo-poderoso, Jeová e Senhor, além de outros nomes.
Deus é um ser pessoal, que possui atributos naturais, morais e de poder, qualidades e virtudes que lhe são próprias.
1. Sobre os atributos naturais. Deus é Espírito: “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (Jo 4.24). Ele é eterno, nunca teve começo, princípio e nunca terá fim: (Dt 33.27), pois Ele existe por si mesmo: “como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu também ao Filho ter a vida em si mesmo” (Jo 5.26). Deus mesmo disse: “EU SOU O QUE SOU” (Êx 3.14).
2. Sobre os atributos morais. Deus é amor: “Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor” (1 Jo 4.8). Ele é incomparável em santidade; nenhum outro atributo divino é tão solenizado nas Escrituras como esse: “Não há santo como é o SENHOR; porque não há outro fora de ti” (1 Sm 2.2). Incomparável é, ainda, em verdade e fidelidade, em justiça e amor, em bondade, benignidade, misericórdia e graça.
3. Sobre os atributos de poder. As perfeições exclusivas de Deus, como a onipotência, a onisciência e a onipresença, são elementos que comprovam a sua grandeza e infinitude. Deus é onipotente; Ele é o Deus Todo-poderoso: “Porque para Deus nada é impossível” (Lc 1.37). O poder de Deus é ilimitado, não há coisa alguma impossível para Ele.
4. Sobre o nome “Deus”. O Deus verdadeiro revelado nas Escrituras apresenta-se a si mesmo com diversos nomes e títulos que são inerentes à sua natureza e que revelam suas obras e seus atributos. Há três termos no Antigo Testamento hebraico para “Deus”. São eles: El, Eloah e Elohim. O Novo Testamento grego usa o substantivo theós para “Deus”. O nome El significa “ser forte, proeminente”, sendo um termo semítico muito antigo para a divindade, usado para identificar o Deus de Israel: “E levantou ali um altar e chamou-lhe Deus, o Deus de Israel” (Gn 33.20).
5. Sobre outros nomes de Deus. Outros nomes são mencionados nas Escrituras, os quais também revelam a natureza e os atributos do Deus de Israel, como Elyon, Shadday, Adonay e Yaweh. O nome Elyon significa “Altíssimo”: “Bendito seja Abrão do Deus Altíssimo” (Gn 14.19); Shadday quer dizer “Todo-poderoso”: “apareceu o SENHOR a Abrão e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-poderoso” (Gn 17.1); e Adonay indica “Senhor”: “eu vi ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono” (Is 6.1).
O nome Yaweh é conhecido por meio do Tetragrama (as quatro consoantes do nome divino YHWH), Iavé ou Javé, que é a pronúncia mais próxima do original.
6. Sobre as obras de Deus. A Bíblia ensina que o universo foi planejado por Deus antes de ser criado. Planejamento, origem e manutenção de todas as coisas no céu e na terra envolvem governo e preservação de toda a criação. Tudo foi criado com propósito: “Segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Ef 3.11).

I - O ÚNICO DEUS VERDADEIRO
1. O Shemá.
Esse é o Shamá - "Ouve, Israel, o SENHOR, nosso DEUS, é o único SENHOR" (Dt 6.4).
A cláusula final "é o único SENHOR" "o Senhor é um só!" (Mc 12.29, Tradução Brasileira). AQUI É IMPORTANTYE RESSALTAR QUE SÓ EXISTE UM DEUS - NÃO EXISTE OUTRO DEUS ALÉM DELE. (Zc 14.9; Sl 86.10).
Quando as pessoas dizem haver outros deuses, isso é contrário à bíblia.
Quando JESUS se referiu ao príncipe deste século estava exatamente dizendo que as pessoas fizeram de Satanás um outro deus o que é inadmissível, mesmo com letra minúscula. NÃO HÁ OUTRO DEUS.
Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo. João 12:31
E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado. João 16:11
Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim; João 14:30
Quando Paulo se referiu ao deus deste século estava exatamente dizendo que as pessoas fizeram de Satanás um outro deus o que é andimissível, mesmo com letra minúscula. NÃO HÁ OUTRO DEUS.
Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de CRISTO, que é a imagem de DEUS. 2 Coríntios 4:4

Esse é o Shamá no original - שמע ישראל יהוה אלהינו יהוה אחד Shema Yisrael, Yehovah Eloheinu, Yehovah Achad. Estas palavras podem ser variadamente traduzido para Inglês, mas quase todas as variedades possíveis verbais na tradução (e não pode haver nenhum outro) quantidade para o mesmo sentido: "Israel, ouvi o Senhor, nosso DEUS, é um só Jeová", ou, " O Senhor é nosso DEUS, o Senhor é um", ou," O Senhor é nosso DEUS, o Senhor sozinho", ou,"o Senhor é nosso DEUS, o Senhor, que é um", ou: "Senhor, que é o nosso DEUS, é o que está sendo". Neste versículo os judeus insistem muito, é uma das quatro passagens que eles escrevem em seus filactérios, e escrever a última carta nas primeiras e as últimas palavras muito grandes, com a finalidade de atenção emocionante para a verdade de peso contém. É talvez em referência a este costume dos judeus que nosso bendito Senhor alude, Mateus 22:38; Marcos 12:29,30 , onde ele diz: Este é o primeiro e grande mandamento, e isso é quase o comentário de que Maimônides dá a este lugar: "Ouve, ó Israel, porque nestas palavras a propriedade, o amor, e a doutrina de DEUS estão contidos."
Muitos acham que Moisés ensina com estas palavras a doutrina da Trindade na Unidade. Pode ser assim, mas se assim for, ele não é feito de forma mais clara do que no primeiro versículo do Gênesis, em que o leitor é remetido. Quando esta passagem ocorre nas leituras de sábado na sinagoga, toda a congregação repetir a última palavra אחד achad por vários minutos, juntamente com as mais altas vociferações: isso eu suponho que eles fazem para desabafar um pouco do seu baço contra os cristãos, pois suponho que o último realizar três Deuses, devido à sua doutrina da Trindade, mas toda a sua habilidade e astúcia nunca poderá provar que não há uma pluralidade expressa na palavra אלהינו Eloheinu, que se traduz o nosso DEUS, e foram os cristãos, ao ler este versículo, a vociferam Eloheinu por vários minutos enquanto os judeus não Achad, seria aplicar mais força no caminho da convicção de que os judeus da pluralidade de pessoas na Divindade, que a palavra achad, de um lado, contra qualquer pretensa falsa doutrina do cristianismo, como cada cristão recebe a doutrina da unidade de DEUS, da maneira mais consciente. É por causa de sua rejeição da doutrina de que a ira de DEUS continua a descansar sobre eles, pois a doutrina da expiação não pode ser recebida, a menos que a doutrina da divindade de CRISTO seja recebida também. Alguns cristãos juntaram-se os judeus contra esta doutrina, e alguns até mesmo os superaram, e puseram-se a dores extraordinárias para provar que אלהים Elohim é um substantivo do número singular! Isso ainda não foi provado. ELOHIM É PLURAL MESMO. ’elohiym Deuteronômio 6.4 . Ouve, ó Israel - Comentários Adam Clarke.

plural (dicionário strong)
1) (plural)
1a) governantes, juízes
1b) seres divinos
1c) anjos
1d) deuses
2) (plural intensivo - sentido singular)

2. O monoteísmo.
Monoteísmo - Um só DEUS - Politeísmo, a crença em vários deuses.
As principais religiões monoteístas do planeta são o judaísmo (Dt 6.4; 2 Rs 19.15; Ne 9.6), o cristianismo (Mc 12.29; 1 Co 8.6) e o islamismo? (Alá não é o mesmo DEUS que conhecemos). O monoteísmo islâmico não é bíblico. O deus Alá dos muçulmanos é outro deus, e não o mesmo DEUS Javé da Bíblia.

Trás grande preocupação com crescente e subtil tendência que se nota em muitos ditos “cristãos” para acreditarem e defenderem que o DEUS de Israel revelado nas páginas da Bíblia é o mesmo “deus” do Islã…
Isso não é mais do que o fruto da ignorância, só que é bem pior do que isso: é uma autêntica heresia. Maomé decidiu rejeitar o DEUS dos judeus e dos cristãos, e substitui-LO pela maior de todas as divindades pagãs dos árabes, Alá, o deus-lua, deus da guerra e deus da espada. O segundo dos 10 Mandamentos diz: “Não terás outros deuses diante de Mim.” O Alá do Islã é um outro deus, um deus que eles alegam ser maior que o DEUS de Abraão, Isaque e Jacó. http://www.cacp.org.br/ala-um-deu-pagao/
“Os muçulmanos têm um grande zelo por seu deus. Eles pensam que têm o DEUS Todo Poderoso. Eles acreditam que, se eles explodirem e matarem milhares de judeus — ou qualquer infiel, que é qualquer pessoa fora do corpo do Islã — eles irão para céu e terão as 72 virgens, para desfrutarem de todo o tipo de diversão e fantasias loucas” “O deus do islã é mentiroso" - O deus do Islã, representa o ódio e a vingança. https://www.paginagospel.com.br/noticias/2016/7/31/ex-terrorista-co...
Quando o Islã adora a Maomé, seu profeta, se torna ou não politeísta? Quando precisam fazer viagens a Meca e oram voltados para Meca (Pedra Caaba - pedra negra) estão ou não na idolatria?

Deuteronômio 6.4 - O monoteísmo, ou seja a crença em um só DEUS, era uma característica distintiva da religião hebreia. Muitas religiões antigas acreditavam em muitos deuses. Mas o DEUS do Abraão, Isaque e Jacó é o DEUS de toda a terra, o único verdadeiro DEUS. Isto era importante para o Israel, porque estavam a ponto de entrar em uma terra cheia de gente que acreditava em muitos deuses. Mas tanto nesse então como agora, existe gente que prefere depositar sua confiança em muitos "deuses" diferentes. Mas o dia vem quando DEUS será reconhecido como o único. Será rei sobre toda a terra (Zec 14:9).

Lembrando que o judaísmo não é o cristianismo e não há salvação no Judaísmo. Não basta acreditar que só existe um DEUS, é preciso acreditar no único que pode nos levara a DEUS - JESUS - para ser salvo.
3. O monoteísmo judaico-cristão.
JESUS confirmou o monoteísmo judaico do Antigo Testamento, claro, nos que não se tornaram idólatras.
JESUS confirmou que Javé de Israel, mencionado em Deuteronômio 6.4-6, é o mesmo DEUS que Ele revelou à humanidade (Jo 1.18)
O DEUS do Israel fiel é o mesmo DEUS do cristianismo. O apóstolo Paulo pregava aos judeus e gentios o mesmo DEUS revelado por JESUS: "O DEUS de nossos pais de antemão te designou para que conheças a sua vontade, e vejas aquele Justo, e ouças a voz da sua boca" (At 22.14).
Lembrando que o judaísmo não é o cristianismo e não há salvação no Judaísmo. Eles não aceitam o único que pode levá-los a DEUS - JESUS. O remanescente é que será salvo - no final da grande tribulação. Também Isaías clama acerca de Israel: Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo. Romanos 9:27 - Não basta acreditar que só existe um DEUS, é preciso acreditar no único que pode nos levar a DEUS para sermos salvos - JESUS.

Dt 6.4-9 O Senhor nosso DEUS é o único Senhor - Esta passagem proporciona o tema central do Deuteronômio. Estabelece um patrão que nos ajuda a relacionar a Palavra de DEUS com nossa vida diária. Temos que amar a DEUS, pensar constantemente em seus mandamentos, ensinar seus mandamentos a nossos filhos e viver cada dia segundo os princípios de sua Palavra. DEUS enfatiza a importância de que os pais ensinem a Bíblia a seus filhos. Não se pode delegar esta responsabilidade à igreja e as escolas cristãs. A Bíblia oferece tantas oportunidades para obter lições objetivas e práticas que seria uma pena as estudar só um dia à semana. As verdades eternas se aprendem de uma forma mais efetiva no ambiente amoroso de um lar onde se teme a DEUS.

Dt 6.4. O Senhor nosso DEUS é o único Senhor. Esta confissão (da qual diversas traduções são gramaticalmente possíveis) parece ficar mais compreensível quando equivalente às declarações de monoteísmo de 4:35 e 32: 39 (cons. I Cr. 29:1). "Porque, ainda que haja também alguns que se chamam deuses, quer no céu quer na terra (como há muitos deuses e muitos senhores), todavia para nós há um só DEUS, o Pai . . . e um só Senhor, JESUS CRISTO" (I Co. 8:5,6). DEUS é único; a divindade confina-se a Ele exclusivamente. Só a Ele o povo de Israel devia se submeter em aliança religiosa, e a Ele deviam servir na totalidade do seu ser, com a intensidade do amor (Dt. 6:5). A exigência divina desta devoção exclusiva e intensa, JESUS chamou de "o primeiro e grande mandamento" (Mt. 22:37, 38; Mc. 12:29, 30; cons. Lc. 10:25-28). É o princípio central de todas as estipulações da aliança. Deuteronômio 6.4 - Comentário Bíblico Moody

II - CRIAÇÃO X EVOLUÇÃO
O criacionismo é a crença religiosa de que a humanidade, a vida, a Terra e o universo são a criação de um agente sobrenatural (DEUS - para nós evangélicos). No entanto, o termo é mais comumente usado para se referir à rejeição, por motivação religiosa, de certos processos biológicos, particularmente a evolução (cientistas ateus ou não).
Evolucionismo é uma teoria que defende o processo de evolução das espécies de seres vivos, através de modificações lentas e progressivas consoantes ao ambiente em que habitam.
Um dos maiores nomes do Evolucionismo foi o naturalista britânico Charles Darwin (1809 - 1882), que desenvolveu no século XIX um conjunto de estudos que deram origem ao Darwinismo, teoria tida como sinônimo do Evolucionismo, consagrando-se como o "pai da Teoria da Evolução".

1. O modelo criacionista.
Na cosmovisão (visão das pessoas sobre o mundo e sua criação), eles chamam de criacionistas todos os que não concordam com eles em sua cega visão de que tudo foi criado do acaso e adotam, a posição de um ser criador de todas as coisas.
Na visão criacionista, que é a nossa, existem duas vertentes:
1- Existem os que reconhecem uma mente brilhante por detrás da criação, mas não o conhecem e dão vários nomes a esse criador. (não são crentes salvos - apenas reconhecem um ser por detrás da criação).
Esta visão científica se fundamenta na evidência empírica, ou seja, tem que haver comprovação experimental clara, real e visível comprovando a existência desse ser por detrás da criação.
Dentro desta vertente existem os adeptos do Design Inteligente que são piores do que os evolucionistas, pois reconhecem o agente criador, mas a ELE não se entregam devido a não poderem colocar esse agente criador dentro de seus laboratórios.
2- Existem os que têm certeza absoluta de que DEUS criou o céu e a Terra e tudo o que existe. Somos nós que reconhecemos somente DEUS criando todas as coisas visíveis e invisíveis.
Nós não necessitamos de provas científicas ou de quaisquer provas de que DEUS criou tudo o que existe, pois nossa fé nos dá certeza disso.
Hb 11.3 Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de DEUS foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.
Porque falou, e tudo se fez; mandou, e logo tudo apareceu (Sl 33.9).

Três verdades importantes são destacadas por Paulo.
a. JESUS CRISTO é a fonte da criação. Paulo diz: “Pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades...” (1.16a). A criação é um fato histórico, pois aconteceu num tempo definido, que a Bíblia chama de “o princípio”. Diz a Escritura: “No princípio criou DEUS os céus e a terra” (Gn 1.1). CRISTO, o verbo dinâmico da criação, trouxe à existência o que não existia (Pela Palavra de DEUS - Hb 11.3). Tudo foi feito por Ele, e nada do que foi feito sem Ele se fez (Jo 1.3). O coração de CRISTO desejou o mundo; a mente de CRISTO planejou o mundo; a vontade de CRISTO concebeu o mundo e a palavra de CRISTO trouxe o mundo à existência.
A expressão “nele”, en autou, denota CRISTO como a esfera dentro da qual a obra da criação ocorreu. Todas as leis e propósitos que guiam a criação, bem como o governo do universo, residem Nele. JESUS é a fonte originária de tudo o que existe no céu e na terra. As galáxias do vasto universo foram obras das Suas mãos. O mundo visível e o invisível são obras de CRISTO. Tudo o que o olho humano é capaz de perceber, assim como o invisível ou que está fora do alcance dos sentidos humanos, tudo se originou no plano e no poder do Senhor.
O mundo físico foi criado por Ele e também o mundo espiritual, os anjos. Eles também foram criados por CRISTO.
b. JESUS CRISTO é o agente da criação. Paulo prossegue: “Tudo foi criado por meio dele” (1.16b). A expressão “por meio dele”, di autou, descreve CRISTO como o instrumento imediato da criação. CRISTO é o agente do poder criador de DEUS. Ele é o verbo criador (Gn 1.3; Jo 1.3). As galáxias, os mundos estelares, os anjos, os homens e todo o universo foram criados por meio Dele. Ele trouxe tudo à existência.
c. JESUS CRISTO é o alvo da criação. Paulo conclui: “... tudo foi criado [...] para ele” (1.16c). A expressão “para ele”, eis auton, indica que CRISTO é o alvo da criação. O mundo foi criado para o Messias. O universo tem uma grande finalidade: render a JESUS todo o louvor e glória. Desde os bilhões de sóis que compõem as galáxias espalhadas pelo firmamento, até os microorganismos que não podem ser vistos a olho nu, tudo rende glória ao criador. Diante Dele todo o joelho deve prostrar-se no céu, na terra e debaixo da terra e confessar que JESUS CRISTO é o Senhor para a glória de DEUS Pai. O universo inteiro deve celebrar a glória de JESUS (SI 19.1-6; Ap 5.13). Quando contemplamos o universo à noite e vemos oceanos de estrelas acima de nós - é por meio de JESUS e para JESUS que essas imensas esferas ardentes seguem sua trajetória. Mas também a pequena flor silvestre que ninguém vê e considera - é por meio de JESUS e para JESUS que ela floresce!
Paulo usa três preposições para descrever a preeminência de CRISTO na criação: Nele, por meio Dele e para Ele (1.16). Os filósofos gregos ensinavam que todas as coisas precisavam de uma causa primária, de uma causa instrumental e de uma causa final. A causa primária é o plano; a causa instrumental é o poder; e a causa final é o propósito. Quando olhamos para a criação, podemos ver que JESUS é a causa primária (foi Ele quem a planejou). Ele é também a causa instrumental (foi Ele quem a realizou). Ele é ainda a causa final (foi Ele quem a fez para o Seu próprio prazer e glória). A criação existe, portanto, para dar glória a CRISTO.
JESUS CRISTO preexiste à criação, é independente da criação e maior do que toda a criação (1.17a). Paulo diz: “Ele é antes de todas as coisas”. JESUS é antes de todas as coisas tanto em tempo como em importância. JESUS não foi criado, é o criador. Ele não teve origem, é a origem de todas as coisas. Foi Ele quem lançou os fundamentos da terra. Foi Ele quem espalhou as estrelas no firmamento. Ele preexiste a todas as coisas. Antes de tudo começar, Ele existia eternamente em sintonia perfeita e feliz com o Pai e o ESPÍRITO SANTO. JESUS é eterno, é o Pai da Eternidade. Ele habita a eternidade e de eternidade a eternidade Ele é DEUS. Ele é auto-existente e auto-suficiente. Ele não depende da criação; não deriva Sua glória da criação, nem dela depende. Ele é eternamente o mesmo. Ele é imutável (Hb 13.8). Ele é o Alfa e Omega, Aquele que está antes, acima e além da criação!
JESUS CRISTO é o sustentador da criação (1.17b). Paulo conclui: “Nele, tudo subsiste”. A palavra grega sunesteken, “sustentar, manter”, revela o princípio de coesão do universo. DEUS mesmo é a fonte unificadora que mantém todo o universo em funcionamento harmônico. Isto se aplica às grandes coisas no universo e também às menores. JESUS é o centro de coerência e coesão do universo. E JESUS quem interliga e dá simetria a todas as leis da física, da química, da biologia e da astronomia. As assim chamadas “leis da natureza” não têm uma existência independente. Elas são a expressão da vontade de DEUS. E só é possível falar de leis porque DEUS se deleita na ordem e não na confusão. Nele vivemos, nos movemos e existimos (At 17.28). Pois Ele mesmo é quem a todos dá vida, respiração e tudo mais (At 17.25).
Todas as leis pelas quais o universo é uma ordem, e não um caos, refletem a mente de CRISTO. A lei da gravidade e as assim chamadas leis científicas não são apenas leis científicas, mas também e sobretudo leis divinas. São as leis que dão sentido ao universo. Essas leis fazem que esse mundo seja digno de confiança e seja seguro. Toda lei da ciência é de fato uma expressão do pensamento divino. E por essas leis e, portanto, pela mente de DEUS, que o universo tem consistência e não se desintegra em um caos. O mundo tem leis, e essas leis científicas são estabelecidas por CRISTO e são leis divinas. CRISTO é o centro de coesão de todo o universo físico e espiritual (Ef 1.10).. (Coleção Comentários Expositivos Hagnos - Hernandes Dias Lopes com algumas correções do Pr. Henrique).

2. O modelo evolucionista.
É uma teoria cientificamente inventada e é naturalista. A proposta darwinista sugere uma seleção natural pelo mecanismo evolutivo.
O evolucionismo é ateu e tenta excluir DEUS da criação.

EVOLUÇÃO (Dicionário Teológico)
- [Do lat. evolutionem, desenvolvimento gradativo] Doutrina formulada pelo inglês Charles Darwin que, em 1859, lançou um livro no qual sugere que as atuais espécies de vida são o resultado de uma lenta e gradativa evolução. Ou seja: um desenvolvimento meramente biológico que foi das formas mais simples às mais elaboradas e complexas.
Rigorosamente considerado, o evolucionismo não é ciência nem doutrina; é uma mitologia academicamente travestida. È uma falácia cujo objetivo único é desacreditar a DEUS como o Criador imediato de tudo quanto existe no Universo. O evolucionismo é nocivo à piedade bíblica, é antibíblico e é satânico.

O evolucionismo é Contrário ao ensino inequívoco da Escritura e contrário às suas consequências claramente destrutivos, a heresia de amor-próprio continua a encontrar aceitação entre aqueles que afirmam CRISTO.
As raízes da paixão moderna, com o amor-próprio pode ser rastreada até o humanismo do século XIX, especialmente no desenvolvimento do evolucionismo. Se o homem é visto como o produto do acaso impessoal, DEUS está descartado, fazendo a elevação da auto perfeitamente aceitável. Porque não há nenhuma base para o certo e o errado, a inclinação natural do indivíduo para o egocentrismo é reforçada, e ele encontra justificação consumada por ser seu próprio deus que faz sua própria vontade. Cada homem é o capitão do seu próprio navio e mestre de seu próprio destino e não pode permitir que sua própria vontade seja impedida ou ele faz mal ao seu bem-estar.
A filosofia e a teologia do existencialismo também contribuíram para seu fim. Embora alguns existencialistas acreditam genuinamente que existe um DEUS e até mesmo que JESUS CRISTO é Seu Filho e Salvador do mundo, eles rejeitam a autoridade das Escrituras, exceto de forma mística e afirmam que DEUS está muito distante do homem para ser claramente entendido, muito menos ser conhecido pessoalmente. O Homem é empurrado de volta sobre si mesmo para fazer de DEUS e da vida o que ele pode e quer.
Nenhum texto da Bíblia incomoda mais os teólogos liberais e os arautos do evolucionismo que Gênesis 1—3. O relato da criação e a criação do homem à imagem e semelhança de DEUS entra em desacordo com as pretensões do evolucionismo. Com o propósito de fazer uma aliança entre o cristianismo e o evolucionismo darwiniano, alguns estudiosos contemporâneos abraçaram o evolucionismo teísta, alegando que DEUS é o autor da criação, mas o processo adotado para essa criação é a evolução. Assim, o relato de Gênesis 1 —3 é mitológico, e não histórico. Consequentemente, Adão não foi uma personagem real, mas apenas um emblema.
Precisamos deixar claro que essa posição avilta não apenas a doutrina da criação, mas também nega a doutrina do pecado original, a queda dos nossos primeiros pais e a autoridade das Escrituras. Francis Schaeffer tem razão ao dizer que toda vez que alguém nega a historicidade de Adão está jogando fora a autoridade de Paulo. Se Gênesis 1—3 não é um relato literal, então Moisés, JESUS e Paulo se equivocaram ao mencionar Adão como personagem histórica. Se Adão é um mito, a Palavra de DEUS perde sua credibilidade, pois o descreve como uma personagem histórica. Geoffrey Wilson destaca que, para ser válida, a argumentação do apóstolo Paulo em Romanos 5 depende de forma absoluta do fato de que, assim como JESUS foi uma pessoa histórica, também Adão foi uma pessoa histórica. Não pode haver paralelo correto entre um Adão mitológico e um CRISTO histórico. Adão é tão necessário ao sistema teológico cristão quanto JESUS CRISTO. De fato, as Escrituras chamam CRISTO de “o segundo Adão” ou “o último Adão”. Tanto Adão como CRISTO nos são apresentados como cabeças de uma raça. Nas palavras de F. F. Bruce, sem dúvida Adão era para Paulo um indivíduo histórico, o primeiro homem. A humanidade inteira é vista como tendo originalmente pecado em Adão.
O livro Origem das Espécies, de Charles Darwin, publicado em Londres, em 1859, contém nada menos que oitocentos verbos no futuro do subjuntivo, “suponhamos”. A evolução é uma suposição improvável, uma hipótese que procura ficar em pé escorada num frágil bordão; é uma teoria falaz. A evolução não é uma verdade científica. Ela não possui a evidência das provas. Tanto o macrocosmo quanto o microcosmo denunciam as muitas incongruências da famigerada teoria da evolução. Mesmo que essa malfadada teoria fosse verossímil, ela ainda se chocaria com o máximo problema: Como explicar a origem da vida? De onde surgiu o primeiro ser vivo? Surgiu espontaneamente? Proveio de algum mineral? E esse mineral, de onde veio? O célebre cientista Louis Pasteur pôs à mostra a fragilidade da teoria da geração espontânea, demonstrando que vida só pode vir de vida.
O apóstolo Paulo também refuta a teoria da evolução teísta. Alguns cientistas tentam conciliar o cristianismo com o darwinismo, a criação com a evolução. Mas isso é impossível. Francis Collins, diretor do Projeto Genoma, em seu livro - A linguagem de DEUS-, conta como abandonou o ateísmo para adotar o cristianismo teísta. Ele se confessa um cristão, mas tenta conciliar o cristianismo com o evolucionismo darwinista. O caminho que encontrou para juntar essas duas vertentes irreconciliáveis foi negar a historicidade de Gênesis 1 e 2. A tese de Collins ataca os fundamentos do cristianismo, pois a fé cristã tem como base primeira a verdade de que a Bíblia é a Palavra de DEUS inerrante, infalível e suficiente. Não é possível negar a criação como registrada nas Escrituras e ainda ser um cristão verdadeiro. Essa vertente liberal que tenta minar a autoridade da Escritura para flertar com a teoria da evolução não possui amparo na Escritura nem na ciência. A ciência corretamente interpretada sempre estará afinada com a verdade da Escritura, pois ambas têm o mesmo autor: DEUS.(Coleção Comentários Expositivos Hagnos - Hernandes Dias Lopes).

III - A CRIAÇÃO
1. A criação do Universo.
O universo (os mundos) não foi criado do nada -
SE OLHARMOS COM FÉ (SÓ PELA FÉ ENTENDEMOS) PARA A EXPRESSÃO VAMOS ENXERGAR DE ONDE VEIO A EXISTR TUDO - OS MUNDOS, PELA PALAVRA DE DEUS FORAM CRIADOS. Hb 11.3 Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de DEUS foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente. NÃO HÁ COMO CRIAR ALGUMA COISA DO NADA, DEUS CRIOU TUDO A PARTIR DE SUA PALAVRA, DE SUA ORDEM DADA. DE JESUS QUE CRIOU TUDO. João 1.3 Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.

Manual de Dúvidas – Bíblia The Word - GÊNESIS 1:1 - Como o universo pode ter tido um "princípio", se a ciência moderna diz que a energia é eterna?
PROBLEMA: De acordo com a Primeira Lei da Termodinâmica: "a energia não pode ser criada, nem destruída". Sendo assim, então, o universo é eterno, já que ele é feito de energia, que é indestrutível. Entretanto, a Bíblia indica que o universo teve um "princípio" e que não existia antes de DEUS o ter criado (Gn 1:1). Não é isto uma contradição entre a Bíblia e a ciência?

SOLUÇÃO: Há um conflito de opiniões aqui, mas na realidade não há contradição alguma. A evidência dos fatos indica que o universo não é eterno, mas que realmente teve um princípio, tal como a Bíblia diz. Algumas observações são relevantes para entendermos esta questão.
Em primeiro lugar, a Primeira Lei da Termodinâmica, com freqüência, é incorretamente enunciada com a expressão: "a energia não pode ser criada". Entretanto, a ciência baseia-se na observação, e afirmações como esta - que diz que a energia não pode ser criada - não se baseiam na observação (como qualquer afirmação que use "pode" ou "não pode"), mas são afirmações dogmáticas. A Primeira Lei da Termodinâmica deveria ser corretamente enunciada da seguinte maneira: "[Até o ponto em que se pode observar] o total de energia presente no universo permanece constante". Ou seja, pelo que se sabe, a quantidade total de energia presente no universo não está diminuindo nem aumentando. Posto desta forma, a Primeira Lei não faz referência alguma quanto à origem da energia nem quanto ao tempo em que ela está presente no universo. Assim, ela não contradiz a declaração de Gênesis de que DEUS criou o universo.
Em segundo lugar, outra lei científica perfeitamente aceita é a Segunda Lei da Termodinâmica. Ela afirma que "o total da energia utilizável no universo está diminuindo". De acordo com esta lei, o universo está decaindo. Sua energia está sendo transformada em calor, que não é utilizável. Sendo assim, o universo não é eterno, porque, se o fosse, a sua energia utilizável já se teria esgotado há muito tempo. Ou, em outras palavras, se o universo está se desfazendo (tendo a sua energia degradada), então houve um tempo em que toda a energia foi feita. Se houvesse uma quantidade infinita de energia, ela não estaria decaindo no universo. Portanto, o universo teve um princípio, tal como Gênesis 1:1 diz.

2. A narrativa da criação em Gênesis 1.
Criação não é “produção do nada”, como se o “nada” fosse uma substância da qual se pudesse formar “algo”. Não consideramos a doutrina da Criação ligada a expressão “Criação a partir do nada” surgindo e caindo com ela. A expressão é filosófica e para ela não temos garantia bíblica; e passível de objeção por indicar que o “nada” pode ser objeto de pensamento e fonte do ser. O germe da verdade que pretende levar em si pode ser melhor compreendido na expressão “sem o emprego de matéria preexistente”. Teologia Sistemática de Strong.

GÊNESIS 1:1 - Como o autor de Gênesis podia saber o que aconteceu na criação, antes mesmo de ele haver sido criado?
PROBLEMA: A erudição tradicional cristã tem sustentado que os cinco primeiros livros da Bíblia foram escritos por Moisés. Os primeiros dois capítulos do livro de Gênesis descrevem os eventos da criação sob o enfoque de uma testemunha ocular. Entretanto, como poderia Moisés, ou qualquer outro ser humano, ter escrito esses capítulos, como observador desses fatos se ele não havia sido criado ainda?
SOLUÇÃO: É claro que houve uma testemunha ocular da criação - DEUS, o Criador. Estes capítulos, obviamente, são um registro da criação, que foi especificamente relatada por DEUS a Moisés, por meio de uma revelação especial. A tendência para se fazer perguntas tais como: "Como o cronista poderia saber que os minerais precederam das plantas ou dos animais?", denuncia um preconceito contra o sobrenatural e uma recusa a considerar explicações alternativas, que não as propostas pela ciência naturalística.
Os dias da criação devem ter sido de 24 horas.
Podemos imaginar que houve a existência dos dinossauros e que sua extinção se deu no Dilúvio. os grandes animais vistos em Jó, por exemplo foram vistos antes do Dilúvio, pois acreditamos que o livro de Jó tem grandes chances de ter sido o primeiro livro a ser escrito.
Por que a Terra foi criada recentemente, ou seja, por volta de seis mil anos?
Porque as galáxias são quase idênticas - Não existe galáxia velha e galáxia nova. Se a Terra fosse velha deveriam haver galáxias envelhecidas mais do que as outras.

Grandes questões em Gênesis 1
1.Origem do universo: Isto considera o espaço-matéria-tempo continuo, consistente com a Primeira Lei da Termodinâmica. O universo veio a existir inteiro e completo; não poderia ter acontecido menos que isto.
2. Origem da ordem e da complexidade: Não surgiu da desordem e do caos, consistente com a Segunda Lei da Termodinâmica. Tudo entra em decadência por degeneração espontânea. Uma absorção de energia não aumenta a ordem. Somente a absorção de inteligência aumenta a ordem.
3. Origem do sistema solar: Novamente, você não conseguirá alguma coisa por nada. Tudo criado a partir da Palavra de DEUS (Hb 11.3).
4. Origem da atmosfera e da hidrosfera: Nunca foi provado que isto aconteceu em qualquer outro lugar do universo.
5. Origem da vida: Isso é consistente com a Terceira Lei da Termodinâmica, a qual afirma que a vida somente surge de uma vida e a partir da sua própria espécie. Alguma coisa ou alguém tem que dar início à vida. É muito complexo começar por acaso ou acidente, de uma ação em uma matéria inanimada.
6.Origem do homem: O homem não evoluiu, mas é uma criação especial e exclusiva do DEUS Criador. O homem é a única coisa do universo, feita à imagem espiritual de DEUS.
7. Origem do casamento: O plano original de DEUS foi um homem e uma mulher unidos por toda a vida, diferentemente da perversão que se vê no mundo de hoje. DEUS não fez Adão e Ivo e os mandou "adotar"...
8.Origem do mal: O mal é permitido por DEUS como uma situação temporária para estabelecer o livre arbítrio e a responsabilidade pessoal enquanto Ele se revela como Redentor e Remidor. Se você não tivesse nada para resistir, seria fraco e não forte.
9. Origem das línguas: Todas as 6.000 línguas conhecidas podem ser facilmente derivadas das setenta línguas distribuídas no episódio da Torre de Babel. Os lingüistas evolucionistas concordam que existe uma raiz comum a todas as línguas, e que cada uma é de uma unidade altamente complexa.
10. Origem do governo: O governo humano foi constituído em Gênesis 9 quando DEUS passou a responsabilidade do governo civil para o homem. Todas as leis sociais humanas se apoiam no primeiro mandamento referente à pena de morte.
11. Origem da cultura: Gênesis descreve a origem da música, literatura, agricultura, etc. Lemos sobre a origem de todas as ciências natural e social e da arte.
12. Origem das nações: Existe somente uma raça humana com muitas aparências étnicas. Ou você é humano ou não é. Todas as aparências étnicas podem ser explicadas por um entendimento claro dos registros históricos ou simplesmente pela genética.
13. Origem da religião:Todo ser humano sabe que existe algo maior do que eles mesmos. Ninguém pode criar algo melhor do que a si mesmo. Portanto, o homem não pode criar o seu próprio DEUS.
14. Origem do povo escolhido: Os judeus são o único povo que mantém sua identidade através da história. Muitas grandes culturas humanas se levantaram e caíram através dos milênios; entretanto, somente os judeus mantiveram sua identidade, apesar das perseguições, guerras, fome, etc.- McMURTRY, Grady S. Título original - Criação, nossa cosmovisão - Criação X Evolução - Onde está a verdade científica? / Grady S. McMurtry - Curitiba: A.D. Santos Editora, 2009.

A criação do ser humano.
O CRIACIONISMO BÍBLICO
As escrituras sagradas descrevem em Gênesis 1-26 e 27 , e 2:7 21 a 23, a criação do homem, onde o primeiro homem Adão que no Hebraico Âdam, significa avermelhado, ou aquele que foi feito de adamah ( terra vermelha ) e que tem a pele da cor de edom ( Vermelho ), por causa do dam ( Sangue ).
Edom na antiguidade. Edom (hebreu : אֱדוֹם, Edom, ʾĔḏôm, "vermelho") é um nome dado a Esaú na Bíblia Hebraica, bem como à nação descendente dele. Mesma raiz da Palavra.

Não podemos entender que o homem seja apenas uma criação de Deus, o homem é mais que uma criatura, pois existe entre o homem e Deus uma relação mais profunda, mais significativa, o homem foi criado para viver numa situação familiar com Deus, numa íntima comunhão.

A- UM CONSELHO CELESTE NA CRIAÇÃO DO HOMEM
Quando Deus criou o homem de acordo com Gênesis 1:26-27, é como se acontecesse uma reunião celeste, um conselho no céu, para determinar a criação do ser humano, talvez para cuidar de detalhes da criação, como seria o homem física e espiritualmente, a bíblia descreve a palavra FAÇAMOS, o que comprova a realização deste conselho celeste, e podemos chegar a algumas conclusões:

Esta reunião definiria (imaginação):
1- A criação do ser humano.
2- A estrutura física do homem
3- A estrutura espiritual do homem
4- Os objetivos de Deus para com o homem.

B- A CRIAÇÃO DO HOMEM DIFERE DAS OUTRAS CRIAÇÕES
Quando Deus criou os animas, os peixes as estrelas, o sol e a lua, Deus utilizou o verbo, a palavra para criar tudo no universo infinito e na terra, exemplo: E disse Deus haja luz. E disse Deus haja um firmamento no meio das águas. E Disse Deus haja luminares no firmamento do céu. Gênesis 1:3, 7, 14. , mas na criação do homem Deus utilizou de material já existente para fazer o corpo físico, e na parte espiritual soprou em suas narinas, e o homem tornou-se alma vivente. Gênesis 2:7.

C- O HOMEM FOI CRIADO SUPERIOR AOS OUTROS SERES VIVOS
Quando Deus criou o homem, ele já havia criado todos os outros seres vivos, as plantas, os peixes, os animais, e por isso Deus fez o homem superior a tudo o que existia até então, e os deu ao homem, e disse dominai sobre os peixes do mar, sobre todas as aves do céu, e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra. Gênesis 1:28, o homem desde a sua criação já era superior a tudo na terra , entre o homem e as demais criaturas existiam uma grande diferença, o homem possuía um nível muito elevado intelectual, moral e religioso. Gênesis 1:31, 2:19-20, Salmo 8: 4 a 8

D- AS FUNÇÕES DO SER HUMANO

FUNÇÃO REFERÊNCIAS
Dominar a Criação Gn 1:27-28, 9.2, Sl 8.4-8, Hb 2.5-9
Multiplicar-se e Povoar a Terra Gn 1.28, 2.24, 9.1-7
Alimentar-se Gn 1.29, 9.3-4
Trabalhar, Cultivar e Guardar o Jardim Gn 2.15
Obedecer a Deus Gn 2.16-17

Todos os instintos básicos, que fazem parte da natureza humana, são meios pelos quais o homem é capaz de cumprir as suas funções de maneira natural, sem que as mesmas pesassem sobre ele como fardo. Deus colocou esses desejos no homem para que não houvesse necessidade de que as pessoas cumprissem as suas funções maquinalmente, sem que isto proporcionasse certo prazer. Pelo motivo de proporcionarem prazer, estes desejos, embora não sendo errados em si, podem ser desvirtuados e corrompidos. É importante notar que as tentações de Eva no paraíso, não ocorreram porque ela teve qualquer maldade, mas o diabo a tentou naquilo que ela desejava naturalmente.

INSTINTOS NATURAIS PECADO
O Desejo de Dominar Gn 1.28b, Sl 8.6-8 Soberba da Vida
O Sexo Gn 1.28a, 2.24 Depravação Sexual
O Desejo de se alimentar Gn 1.29, 3.6 Excesso, Glutonaria
O Desejo Estético Gn 2.9a, 3.6 Cobiça dos Olhos

O homem tinha que se multiplicar, para povoar a terra a fim de dominá-la. É importante observar que devia dominar a terra, mas não como se fosse o seu dono. Porque toda a terra pertence ao Senhor (Lv 25.23, Sl 24.1, 1 Co 10.26). O homem não é "dono" da criação, e sim, "MORDOMO DE DEUS", com a função de tomar conta das obras das suas mãos.

o Homem é uma tricotomia. É espírito, possui uma alma e mora em um corpo.
E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. 1 Tessalonicenses 5:23

Os homens conseguem prever os eclipses e até passagens de cometas próximos a Terra porque o universo é regido por leis dadas por DEUS. Tem um período pré determinado.

CONCLUSÃO
Tudo é criado por DEUS quando ele ordena, ELE fala. Tudo é através da Palavra. O PAI ordena JESUS executa e o ESPÍRITO SANTO revela. No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com DEUS, e o Verbo era DEUS. Ele estava no princípio com DEUS. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. João 1:1-3 Hb 11. 3 Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de DEUS foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente. Porque falou, e foi feito; mandou, e logo apareceu. Salmos 33:9

Exibições: 17

Comentar

Você precisa ser um membro de TvMissionaria.org para adicionar comentários!

Entrar em TvMissionaria.org

© 2017   Criado por Gladson e Mary - TvMissionaria.   Ativado por

BANNERS  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço